Ensino com Autoridade

Todos ficavam maravilhados com o seu ensino, porque lhes ensinava como alguém que tem autoridade e não como os mestres da lei.
Marcos 1:22

Primeiro ponto a observar é o fato do autor ter mencionado um ensino com autoridade, de Jesus; e ao mesmo tempo que compara com o ensino do mestres da lei. Jesus ensinava com autoridade! Os mestres da lei não.

Voltando para os nossos dias e olhando para imensa quantidade de pregadores, preletores, pastores, oradores, conferencistas, e outros, pergunto; – Eles pregam/ensinam com autoridade?

Pergunto porque vejo homens subirem nos púlpitos pregarem sobre perdão ao mesmo tempo que na própria mensagem anunciam que não perdoam! Vejo homens nos púlpitos anunciando uma mensagem ao mesmo tempo que dizem que não entendem! Vejo homens nos púlpitos anunciando um mensagem Bíblica ao mesmo tempo que dizem que não tem resposta! Vejo homens nos púlpitos anunciando uma mensagem que é mais mandar recado, falar mal dos outros e das outras igrejas/instituições, piadas, comedia, stand-up e outros! Vejo homens com vida vazia anunciando uma mensagem que eles mesmos não colocam em prática e/ou não vivem aquilo que pregam; e outros que dizem que aquela mensagem não funcionou com eles.

O que é um ensino com autoridade? Quero fazer essa pergunta para que tu meu querido leitor possa refletir em sua mente e forçá-la a buscar uma resposta. Ensino com autoridade seria o ensino em que a própria pessoa põe em prática? Ensino com autoridade seria o ensino de uma pessoa com experiência e vivência prática e com bagagem para poder falar com convicção? Ensino com autoridade seria a de uma pessoa capaz de dizer: faça como eu faço? Ou ensino com autoridade seria uma mensagem transmitida por uma pessoa cheia do Temor do SENHOR a ponto dele não ensinar o que ele pensa, acha ou imagina; mas ensinar somente a Bíblia!

Conversando com uma amiga, ela confessou: faz tempo que não escuto uma mensagem Bíblica bem Bíblica. O que ela disse foi: faz tempo que não escuto uma mensagem ou um ensino com autoridade.

Quero finalizar com a seguinte pergunta: – A sua mensagem/ensino/vida, tem sido com autoridade ou como a dos mestres da lei?

Anúncios

Ministério da Reconciliação II

“Agora, pelo contrário, vocês devem perdoar-lhe e consolá-lo, para que ele não seja dominado por excessiva tristeza”.
2 Co 2.7 NVI

 

No último artigo falei a respeito de ministérios pós-modernos que tem se instalado e dominado as igrejas/instituições, religiosos e seus líderes e pastores; e quero destacar o ministério da exclusão. Mencionei até o fato de igrejas/instituições terem nos estatutos cláusulas e regras ou formas de como excluir as pessoas. Quero acrescentar o fato de muitos líderes e pastores ordenarem as pessoas a não terem mais relacionamentos com pessoas que saíram, pessoas que foram excluídas, e outras que são literalmente ordenadas que sejam excluídas.

Tenho convivido e orientado pessoas que foram excluídas, pessoas que perderam amigos e pessoas que perderam o convívio dos parentes. Pessoas que deixaram de ser família porque em algum momento resolveram excluir ou foram orientadas a excluir, quer seja por mostrar a verdade, por contradizer com alguma ideia que tentaram impor ou implementar, alguma visão bíblica ou doutrina nova. Em resumo em algum momento alguém resolveu que era hora de excluir.

Noto a facilidade com que igrejas/instituições excluem seus membros, amigos e até parentes! Percebo a rapidez em querer apontar os supostos erros das pessoas, e levá-los a público em nome da santidade. Percebo a falta de perdão, reconciliação e a falta do amor nessas igrejas/instituições.

Depois de todo o sacrifício de Cristo para reconciliar as pessoas, percebo que os humanos são basicamente incapazes de perdoar e amar.

Paulo esta falando justamente de uma pessoa que errou e que em vez de excluir, a igreja/corpo de Cristo deveria perdoar e restaurar esse irmão para que ele não fosse dominado por uma excessiva tristeza.

Percebo, vejo e constato que é crescente o número de pessoas que saíram e/ou foram excluídas de igreja/instituições e que não querem mais saber igreja/instituição, justamente porque foram dominadas por essa excessiva tristeza. Pessoas que tem buscado a Cristo fora das instituições, e procurado ser igreja/corpo de Cristo juntamente com outras pessoas.

“Eu saí da igreja/instituição porque não achei o amor de Jesus Cristo lá dentro! Eu encontrei ódio, raiva, rancor, inveja, falar mal, apedrejar, criticar, julgar, condenar, e mais um monte de coisas; mas não encontrei o amor de Jesus Cristo lá dentro”!

O que aconteceu com o perdoar uns aos outros setenta vezes sete? O que aconteceu com o amar uns aos outros como a ti mesmo? O que aconteceu com a reconciliação para qual fomos chamados?

Nos tornamos tão insensíveis, hipócritas, religiosos, fariseus, saduceus, mestres e doutores da Lei e da Teologia, tão santos e perfeitos que não podemos mais conviver com pessoas pecadoras, e justamente por isso não podemos mais perdoar e nem restaurar ou reconciliar. Afinal; ela tem que punida, e tratada!

– Agora ao contrário, vocês devem perdoar e restaurar…

– Joel Amaro

Ministério da Reconciliação!?

2 Co 5.18 – NVI “Tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação,

Reconciliação:

1 – Ato ou efeito de reconciliar.
2 – Restabelecimento de boas relações entre pessoas que estavam desavindas.
3 – O ato pelo qual Jesus Cristo reconciliou os homens com Deus.
4 – Qualquer confissão que se faz fora da de preceito.
5 – Solenidade com que se consagra um templo que foi profanado.

Fonte: https://dicionariodoaurelio.com/reconciliacao

AS Escrituras nos diz que o SENHOR nos reconciliou consigo mesmo, já que o relacionamento havia sido rompido com o pecado de Adão, e por isso foi reconciliado, reafirmado, reatado por meio de Cristo, que por sua vez nos incumbiu de reconciliar as demais pessoas com o SENHOR.

O ministério da reconciliação é a evangelização, o anúncio, a transmissão da palavra, mas acima de tudo a vivência desse evangelho no nosso dia a dia, de forma que as pessoas possam ver Cristo em nós, e assim possamos fazer discípulos de Cristo (Mt 28.19-20), e assim possam se reconciliar com o SENHOR o Criador. O ministério da reconciliação é o anúncio da palavra da salvação, a manutenção desta palavra, a vivência desta palavra de forma a auxiliar, edificar, apoiar, exortar e acima de tudo amar uns aos outros, como Jesus Cristo nos ordenou. Ele mesmo nos disse:  “Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros. Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros João 13:34,35

Entretanto ao observar os ministérios de pessoas, pastores, igrejas/instituições e comunidades; percebo vários tipos de ministérios digamos pós-modernos que são anunciados nos púlpitos, nas pregações e que acabam sendo vivido pelas pessoas.

Ministério da Falação: Fala mal, critica, julga e apedreja os outros através das palavras seja nas rodas de conversa, nas pregações e nos demais lugares e meios. A fofoca está incluída neste ministério!

Ministério da Exclusão: Por se considerar santo, absoluto e superior aos demais, acaba-se achando algum pecado ou argumento para não querer conviver mais com o irmão, e assim exclui as pessoas. Exclui porque ela pecou! Exclui porque ela é pobre! Exclui porque está em dificuldade financeira e é mais fácil excluir do que ajudar ou dividir com ela a comida, ou outras coisas. Exclui por tantos motivos que seria até digamos impossível descrever tantos motivos para excluir. – Por ora necessito dizer que este é o ministério que mais cresce nas igrejas. Diga-se de passagem que há igrejas que tem em seu estatuto, cláusulas e regras para excluir as pessoas.

Ministério da Enganação: Há diversos níveis de enganação, como os bem sutis que contam pequenas mentiras em seus ensinos, pregações ou nas conversas. Pequenas enganações para ser politicamente correto e ser bem visto por todos. O nível já sobe para um enganador mediano que usa de enganações/mentiras corriqueiras para enganar ou ludibriar as pessoas, e os profissionais que são os pastores que usam das mais diversas técnicas e meios para mentir e enganar o povo, seja com promessa de vida fácil, riqueza, prosperidade, sucesso, alívio, terreno no céu, cura milagrosa e outras tantas coisas e meios para no fim enganar o povo.

Ministério da cegueira: O deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos para que não lhes resplandeça a luz (2 Co 4.4), e os pregadores e pastores continuam cegando o povo quando pregam e ensinam sobre livros, revistas, dados do governo, dados de pesquisas, piadas, mentiras e outras coisas; menos sobre a Bíblia! Há os que abrem e leem um verso, mas no fim falam totalmente contra o próprio texto. – Por que não pregam a Bíblia? Por que não pregam sobre a mensagem que já está na Bíblia? Por que usam esse tempo para falar um monte de coisa, contar piada, falar mal dos outros, apedrejar os outros, etc.; e não usam esse tempo para expor as Escrituras para que as pessoas possam ver a luz de Cristo?

Há outros ministérios mas por ora quero voltar ao ministério da reconciliação feito pelo SENHOR através de Jesus, e que foi deixado para nós, por Jesus.

Qual é o seu ministério?

O seu ministério é o da exclusão? Vamos fazer um teste? Excluiu alguém do seu convívio, da roda de amigos, da igreja ou da redes sociais? – Antes de excluir procuraste amar de diversas formas essa pessoa? – Lembre-se que Jesus disse: quem não tem pecado que atire a primeira pedra. Ele também disse: amem assim como eu vos amei. E disse também: perdoem setenta vezes sete.

Qual é o seu ministério? Se respondeste que é o da reconciliação pergunto: O que tens feito para reconciliar as pessoas consigo mesmo, com as pessoas ao seu redor, com a comunidade local e principalmente com Jesus e com o SENHOR?

Que possamos abandonar todos esses ministérios pós-modernos e mundanos, e nos dedicarmos somente e exclusivamente ao ministério da reconciliação. – Joel Amaro

A Cultura da Ostentação.

ostentação

“Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: “Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo.” Mt 25.34 NVI

Estava em uma rede social quando me deparei com essa imagem e mensagem de que ostentação é um passaporte cheio de carimbos, sinalizando ou indicando que uma pessoa viajou e/ou conhece vários lugares no mundo. Não estou criticando ou condenando a frase ou as viagens – até porque gosto de viajar. Mas o que me despertou a atenção foi justamente o objeto da ostentação; a diversidade. Para algumas pessoas isso talvez seja um sonho ou um ideal a ser alcançado e conquistado, porém para um piloto ou comissário isso seja um fardo pesado e ostentação é uma casa onde ele possa ficar sossegado e ter uma vida rotineira e tranquila com sua família. Lembro-me de um executivo que estava angustiado porque teria de viajar naquela semana. – Logo ostentação para aquele executivo não era um passaporte cheio de carimbo, aliás; era um fardo pesado.
Ostentação para algumas pessoas é um carro de luxo, para outros são mulheres e acho interessante alguns jogadores que fazem questão de postar foto rodeado de mulheres. Ostentação para alguns é a casa de alto padrão ou mansão, um chalé na montanha ou uma casa na praia. – Ostentação pode ser de diversas formas que podem variar de pessoa para pessoa ou de estado e até mesmo país.
Entretanto é certo que um dia todos nós iremos morrer. 1- E quando este dia chegar (morte) para onde vais? 2- Como aparecerás diante do seu deus ou Deus? – Estamos falando em ostentação para os humanos; mas será que tens algo para ‘ostentar’ para o seu Deus? Recordo-me da parábola dos talentos que quando o Senhor retornou encontrou os que multiplicaram e automaticamente ‘ostentaram’ os seus frutos que foram os talentos adquiridos, e um outro que não apresentou nada a não ser o talento que fora enterrado.
Como Cristão, religioso, denominacional de diversas linhas, o que é ostentação? Ostentação seria o templo novo ou reformado? Ostentação seria a lista de presença na escola dominical ou nas celebrações da semana ou domingo? Ostentação seria os cargos que ocupas no templo? Ostentação seria a quantidade de templos construídos? Ostentação seria a quantidade de shows assistidos? Ostentação seria quantidade de estudos dados, livros escritos, sermões, ou algo do gênero?
Jesus na passagem de Mt 25.31-46, de verso acima mencionado; está assentado no seu trono justamente para recompensar as pessoas por aquilo que elas estão ostentando. E para as ovelhas que estarão a direita Ele dará como herança o reino que está preparado desde a criação do mundo! Contudo o fato mais interessante é notar o que essas pessoas, as ovelhas fizeram ou o que estavam ostentando. – “Pois eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram; necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram”. Então os justos lhe responderão: “Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber? Quando te vimos como estrangeiro e te acolhemos, ou necessitado de roupas e te vestimos? Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar? O Rei responderá: “Digo-lhes a verdade: O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram”.”
Ostentação para Jesus, não é o tamanho ou a quantidade de templos construídos. Não é a lista de presença a escola dominical ou a assiduidade nas celebrações. Não é quantidade de artigos ou livros escritos, sermões ou estudos; não é a quantidade ou diversidade de cargos no templo/prédio/instituição.
Para Jesus é o que fazemos para o próximo! O amor que somos capaz de dar ao próximo não em palavras, mas em ação na prática e no dia a dia.
O que é ostentação para você?
Para onde vais quando morrer?
Como vais se apresentar diante do seu Deus? – O que terás para mostrar?

Ovelha no Deserto

“1 O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. 2 Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso;” (Sl 23.1-2 RAStr)
Deserto
Este salmo é bastante conhecido por todas as pessoas e até das crianças, para não falar que é um dos primeiros textos que decoramos.
Este salmo descreve que o SENHOR é o nosso pastor, e nós como ovelhas não teremos falta de nada, pois Ele vai nos levar para pastos verdejantes e águas tranquilas. A continuação do texto diz que ainda que essa ovelha ande pelo vale da sombra da morte não terá medo, pois o SENHOR é o pastor.
– O texto descreve a possibilidade ou a eventualidade da ovelha andar pelo vale da sombra da morte.
Trazendo para a realidade de nossos dias pergunto o que é pastos verdejantes e águas tranquilas; e o que é vale da sombra da morte?
Podemos dizer que pastos verdejantes e águas tranquilas é uma vida basicamente sem problemas ou dificuldades, garantido por um emprego, casa própria, saúde, finanças em dia, e uma série de detalhes que podemos resumir que seria uma vida estável e sem muitos problemas.
O vale da sombra da morte por sua vez é uma série de eventos que tiram nosso sono e paz e nos deixa atordoados, como o desemprego, a falência, o aluguel e o despejo por não conseguir pagar o aluguel, as dívidas, problemas de saúde e outros fatores.
O ponto que quero observar é: Você neste momento pode dizer que está em pastos verdejantes e águas tranquilas, ou está passando pelo vale da sombra morte?
Acho interessantes algumas comparações que a Bíblia usa quando nos chama de ovelha ou nos compara com peixe, e ao mesmo tempo fala que muitas vezes somos levados para o deserto! Ovelha no deserto? Peixe no deserto? Ovelha no vale da sombra da morte?
Quero chamar a atenção para imensa quantidade de pessoas/ovelhas que literalmente tem vivido por tempos (anos) no vale da sombra da morte, ou seja; literalmente vivido no deserto. Não é natural da ovelha e nem do peixe viver no deserto, mas sim em pastos verdejantes e águas tranquilas.
Temos vivido um cristianismo que se preocupa tanto com a letra, com o ‘evangelismo’, com a liturgia do culto, com os detalhes da doutrina, com as letras das músicas, com a apresentação do domingo; mas temos literalmente esquecido das pessoas que estão vivendo no deserto. Preocupamo-nos tanto com as riquezas que queremos acumular, casa própria, carro do ano, roupa nova e viajem dos sonhos que esquecemo-nos e ignoramos totalmente as pessoas que estão em dificuldades. Ovelhas que estão vivendo no deserto ou vale da sombra da morte, e muitas são do próprio rebanho.
Como está a sua vida neste momento?
Você está em pastos verdejantes e águas tranquilas ou está no deserto/vale da sombra da morte?
Você conhece alguém que está vivendo no deserto/vale da sombra da morte?
O que você tem feito ou o que está disposto a fazer por essa pessoa?

Que as nossas ações sejam na prática e em ação e não somente em palavras (I Jo 3.16-18) – Joel Amaro

Servir ou SERVIR?

pedintes

“A isto ele respondeu: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo…..Qual destes três te parece ter sido o próximo do homem que caiu nas mãos dos salteadores?” (Lc 10.27,36 RAStr)

Na parábola do Bom Samaritano encontramos um intérprete da Lei querendo pegar Jesus como muitos tentaram fazer. E a questão era justamente sobre amar o próximo, um dos mandamentos Bíblicos e ouso dizer que é um dos dois maiores mandamentos Bíblicos; Amar o SENHOR, e amar o próximo.
O amor é a essência do cristianismo e do SENHOR! Foi por amor que o SENHOR deu seu único filho para morrer por nós pecadores, e foi por amor também que Jesus pagou o preço pela nossa salvação, e é justamente esse amor que Ele nos manda mostrar ao mundo, amando o próximo.
Uma das formas de amar é servindo. Mas o que é servir? O que é o serviço Cristão? Qual a melhor forma ou a melhor maneira de servir? Em que área servir?

Nos últimos anos ouvi inúmeras frases a respeito de serviço cristão como: ‘crente que não serve não serve’; ‘ tem gente que está sofrendo porque não está servindo, e outros que estão deixando de servir e serão mais castigados ainda’; ‘precisamos de pessoas para servir nos ministérios da igreja’, e outras frases de efeito para intimidar os que não estão servindo.
São frases que tem certo fundo de verdade. Porém o problema é que o serviço nestes casos se refere ao serviço a ser feito no templo, igreja prédio físico – quatro paredes, e aos cargos e departamentos dentro dela.
Se a pessoa é crente e não serve em um cargo, departamento ou ministério do templo, ela não serve?
Pessoas estão sofrendo, ou seja; o SENHOR está castigando porque estas pessoas não tem um cargo no templo? E outras que estão parando de servir ou deixando seus cargos no templo e serão mais castigadas ainda?
Onde está o amor do SENHOR? Onde está o ‘misericórdia quero e não sacrifícios (Os 6.6; Mt 9.13; 12.7)?

Voltando para a parábola do Bom Samaritano notamos os personagens da história: certo homem, o Sacerdote (pastor), o Levita (cantor, porteiro, pessoa que serve no templo) e o Samaritano (Inimigo? Incrédulo? Desviado?).
Note que o amor ou o serviço destacado e exaltado por Jesus não foi das pessoas que serviam no Templo, mas sim da pessoa que parou a sua caminhada, ajudou o certo homem semimorto e ainda pagou a conta dele ( não acumuleis tesouros aqui nesta terra, mas acumuleis no céu Mt 6.19-21). Note que Jesus ‘condenou’ a atitude justamente de quem servia no Templo, e neste caso era o Templo de Jerusalém; aquele que o SENHOR deu ordem para construir.

Pergunto novamente: O que é servir ou serviço cristão? Servir é ter um cargo no templo? Ou servir é o que fazemos na prática em relação ao próximo?
Precisamos separar bem porque para um religioso o servir é ter cargo no templo; mas para um cristão, servir é o que fazemos pelo próximo de maneira prática.
Nas ordens de Jesus, não encontro nenhuma ordem para ter um cargo no templo; aliás, não encontro nem a ordem para construir templos! – Mas encontro inúmeras ordens para ajudar o próximo, servir o próximo (diretamente e não no templo), amar o próximo, suportar (ser suporte) o próximo, perdoar, edificar, auxiliar, exortar, etc.
A Igreja primitiva entendeu tão bem que eles não se preocuparam em construir templos ou de ter cargos dentro do templo; mas eles cuidavam e serviam uns aos outros diariamente, de casa em casa e até ao ponto de vender as suas propriedades e bens para repartir conforme as pessoas tinham necessidade.

O grande problema é que na igreja primitiva eles eram cristãos (pequenos cristos), enquanto nos nossos dias a grande maioria é religiosa. Todos, indo adorar o Senhor e servir em seus cargos nos templos, enquanto passam e até desviam de pessoas semimortas. – Joel Amaro

Aqui se faz aqui se recebe?

Faça o bem, pois a vida é assim. Aqui se faz aqui se recebe.

 

Recebi essa frase embutida em uma mensagem sobre fazer o bem e não esperar que as pessoas lhe retribuam o bem que fizestes, mas esperar sim que um dia a vida de dê algo em troca porque a vida é assim, aqui se faz aqui se recebe. Imediatamente após dar uma olhada e refletir sobre a mesma respondi: ‘faz vinte e cinco anos que faço e bem e tenho procurado fazer o bem, ajudar, apoiar, auxiliar e servir as pessoas; e só recebo o mal. Uma paulada atrás da outra’.

Como consolo, recebi alguns versículos sobre esperar no SENHOR, e uma frase dizendo que no fim tudo dá certo.

O que me despertou a atenção é ver a sutileza da frase e ao mesmo tempo de uma doutrina espírita e satânica embutida no ensino e doutrina evangélica e na cristã.

Faça o bem, pois aqui se faz e aqui se recebe?

Realmente devemos fazer o bem! Fomos e somos instruídos a isso! Várias vezes as Escrituras nos orientam a não retribuir o mal com mal, mas sim o mal com bem (I Ts 5.15; I Pe 3.9; Rm 12.17), e vários outros versículos no sentido de que devemos fazer o bem sem esperar nada em troca.

Somos de fato abençoados com inúmeros bens materiais e outros prazeres desta terra, mas quero enfatizar que isto não é uma promessa feita por Jesus para nós cristãos ou igreja de Jesus. O que Jesus prometeu foi vida eterna: “lhes dou a vida eterna” (Jo 10.28), e também disse que iria para a casa do Pai preparar lugar, e voltar para nos buscar (Jo 14,2-3).

Olhemos para Jesus, que fez o bem e foi perseguido, chicoteado, açoitado e crucificado. Então pergunto: Jesus recebeu o bem nesta vida? Jesus ainda disse: “Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós outros; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa” (Jo 15.20).

Olhemos para os discípulos de Jesus que seguiram os passos do Mestre e fizeram o bem, e em troca foram perseguidos, presos, mortos – apedrejados, decapitados e crucificados de cabeça para baixo. Então pergunto: Os discípulos receberam o bem nesta vida?

Jesus prometeu vida eterna, disse que estava indo preparar lugar, e prometeu que voltaria para buscar os seus, e de quebra disse que seríamos perseguidos, ou seja, Jesus não nos prometeu riquezas ou vida boa nesta terra, mas sim vida eterna.

Entretanto ao olhar para as escrituras percebemos que Satanás foi quem prometeu bens e riquezas nesta terra. Foi com bens materiais e riquezas que Satanás tentou Jesus. “Tudo isso te darei se, prostrado, me adorares”. (Mt 4.9; Lc 4.7). É o princípio da troca onde a pessoa tem que se prostrar e adorar, ou fazer algo para receber riquezas e bens materiais.

Olhando para as ‘igrejas’ de hoje, percebo que a mensagem que está sendo pregada é a promessa de vida boa, riquezas e bens materiais. Só muda o prédio, a placa da frente do prédio, o endereço, e alguns detalhes; mas a mensagem sempre é de que a vida vai melhorar; D-us tem uma vitória para você essa semana; faça algo para ser abençoado; três, sete passos para o sucesso; correntes de prosperidade, etc.

Se estiveres sofrendo ou passando por algum problema ou doente é porque talvez esteja em pecado, não seja dizimista, ou não tenha fé!

Jesus! Está sendo chicoteado e crucificado (sofrendo), porque talvez esteja em pecado, ou não seja dizimista ou falta de fé!

Vamos repetir a frase para os discípulos de Jesus? Paulo, Pedro, Estevão, etc; vocês estão sofrendo porque talvez estejam em pecado, ou não sejam dizimistas, não tenham feito um voto de fé ou talvez é porque não tiveram fé suficiente.

O que de fato essa frase quer dizer é que eles, Jesus e seus discípulos sofreram é porque não se prostraram e adoraram Satanás, mas preferiram viver segundo a mensagem de Jesus e pregaram ela com suas vidas.

– Tudo isso te dou se, prostrado, me adorares!

Tem muita ‘igreja’ pregando para as pessoas fazerem seus votos para receber bens materiais e riquezas nesta vida. Tem muito ‘cristão’ indo para os templos para receber a sua bênção (riqueza e bens materiais). Tem muito ‘cristão’ fazendo o bem como troca para receber da vida e nesta vida o bem que fizeram e finalmente serem ‘abençoados’.

A mensagem de Jesus é vida eterna.

A mensagem de Satanás é vida terrena com riquezas e bens materiais afinal; tudo isso te dou se, prostrado, me adorares!

 

Qual tem sido a mensagem que tens pregado?

Qual tem sido a mensagem que tens buscado?

Qual tem sido a mensagem que tens ouvido?

Joel Amaro